A tal da Complexidade e os Valores Humanos

Escrito por: Sandra Maria de Sousa Pereira – Imagem: Pixabay

Estamos vivendo um tempo desafiador… cheio de implicações e possibilidades.

Ouvi por aí uma frase, parece até letra de música, que expressa bem o que está acontecendo.

“Se você não está perdido, é porque não está entendendo nada.”

Falamos de uma quase-pós-pandemia. Quase, porque até isso ainda é incerto, como convém aos tempos complexos.

Nesse momento quase-pós-pandemia, a sensação é de uma grande ressaca. Muita coisa mudou. E quase nada mudou.

Temos uma sensação aguda de perda – e de ganho… Grupos novos se formando, outros se desfizeram. Para sempre? Com incerteza, quem sabe?

São muitas variáveis que mudam o tempo todo, por vezes parecendo desconexas. Mundo VUCA, mundo BANI, muitas teorias criadas para tentar dar conta desse novo que nos confronta, afronta, desafia e instiga. Tudo junto ao mesmo tempo.

Precisamos mais do que nunca de prontidão e resiliência. Competências que estão no topo das necessárias para quem está vivendo a impermanência, a única constante, como já dizia Heráclito, filósofo grego, sempre – e cada vez mais – atual:

 “Nada é permanente, exceto a mudança”.

E ele também fala de prontidão e positividade:

“Paremos de indagar o que o futuro nos reserva e recebamos como um presente o que quer que nos traga o dia de hoje.”

Heráclito de Éfeso

Sinto que quanto mais os tempos são incertos, mais precisamos aprender a voltar ao nosso centro e a sair dele sem nos perder, com fluidez e serenidade.

Um pouco de Parmênides também nos cai bem, para dar a sensação de alguma permanência: “O ser é, e o não ser não é.”

Apesar desta disputa grega quase eterna sobre quem tinha a verdade (Heráclito ou Parmênides), penso que ela está no meio do caminho… do fluir entre a essência e a mudança: Heráclito E Parmênides. Depende…

Para que possamos permanecer centrados, é importante estarmos despertos, presentes, vigilantes, o que torna cada vez mais atual o conceito de flow e as práticas de mindfulness.

“Não importa por onde eu comecei, pois para lá eu voltarei sempre.”

Parmênides de Eleia

Voltar ao centro, sair, voltar, de modo cada vez mais fluido, pressupõe autoconhecimento, compreensão profunda de quem somos e de nossos valores.

Esse foi um estudo a que me dediquei durante toda a pandemia, numa especialização no Método Benedí®, pelo IEV-Instituto de Educación en Valores (Espanha), um dos grandes ganhos entre tantas perdas, uma oportunidade que talvez eu não tivesse se não fosse esse momento tão desafiador, que nos obrigou a encontrar formas de nos conectarmos virtualmente.

Aprendi, nessa especialização, que compreender integralmente a esfera dos nossos valores (pessoais, profissionais, familiares, amorosos, organizacionais, globais) permite que eles sejam nossos condutores em qualquer situação, ajudando-nos a manter nossa coerência e navegar na complexidade.

Essa capacidade ajuda a fazer aflorar nossa criatividade inata, possibilitando o movimento autêntico de convergir, divergir, voltar ao centro e sair dele, sem perder a essência.

Conhecer e viver nossos valores traz coerência e fortalece nossa autenticidade, nosso valor humano único e irrepetível, conectando-nos cada vez mais com a verdade de quem somos.

Um dos 7 Princípios Herméticos, de Hermes Trismegisto (filósofo egípcio que viveu entre 1.500 a.C e 2.500 a.C, considerado o primeiro alquimista da história), fala dessa correlação direta entre tudo que existe, dentro e fora, acima e abaixo.

“O que está em cima é como o que está embaixo. O que está dentro é como o que está fora.”

Hermes Trismegisto

Esse é o princípio da Correspondência, que diz respeito aos padrões presentes em todos os planos da existência, pelos quais caminhamos. E nos traz a ideia de que o nosso universo interior tem o seu correspondente no universo ao nosso redor.

“O que está dentro é como o que está fora.”

Meu convite é que você se permita fluir com o movimento da complexidade: ser-estar-ser, interno-externo, você-os outros, tudo junto e misturado, sempre com lucidez e ancorado nos seus valores.

Permita-se ser quem você é integralmente, com auto acolhimento e auto empatia, mergulhando e explorando seu mundo interno, para que ele se expresse de modo cada vez mais coerente e valioso no mundo externo.

Invista no seu autoconhecimento, no conhecimento de seus reais valores e como se manter fiel a eles, com coerência e preservando sua essência, seu valor de ser humano.

Com isso, não importa o quanto a complexidade cresça, pois você será sempre capaz de fluir com ela e voltar ao seu centro, ancorado em suas raízes e sustentado por suas asas.

E se precisar de ajuda, pode me chamar para batermos um papo sobre isso…

__________________________________________

Para saber mais…

Método Benedí

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s